Equideocultura

A infertilidade dos híbridos de equídeos

Os humanos domesticaram duas espécies de equídeos: os equinos (Equus caballus) e os asininos (Equus asinus). Os equinos possuem 32 pares de cromossomos (2n=64) e os asininos, 31 pares (2n=62) (Ryder et al 1978). A diferença no número de cromossomos entre as espécies não é dada por uma simples fusão cêntrica. Há uma série de rearranjos cromossômicos como fusões, reposicionamento de centrômeros e inversões que promoveram diferenciação citogenética entre as duas espécies (Musilova et al 2013) e que acarretaram na diferença numérica de um par. …

Ler mais... »

Características de manejo alimentar e desenvolvimento de potros

O correto manejo alimentar de potros em fase de crescimento traz benefícios futuros, em virtude da menor incidência de problemas nos membros locomotores, maior longevidade e maximização do potencial atlético dos animais. Sabendo que a proteína e a energia são os nutrientes básicos e que controlam o crescimento, ou seja, a ingestão de níveis adequados de proteína e energia proporciona ao animal taxas de crescimento de acordo com o seu potencial genético. Durante o primeiro ano de vida, os potros apresentam elevadas taxas de crescimento. Alcançando aos doze meses …

Ler mais... »

Mercado equino nacional

O Brasil possui o maior rebanho de equinos na América Latina e o terceiro mundial. Somados aos muares e asininos são mais de 8 milhões de cabeças, movimentando R$ 7,3 bilhões por ano, somente com a produção de cavalos, no Brasil a cadeia do cavalo é superior a industria automobilística. O rebanho envolve mais de 30 segmentos, responsável pela geração de 3,2 milhões de empregos diretos e indiretos. A maior população brasileira de equinos encontra-se na região Sudeste, logo em seguida aparecem as regiões Nordeste, …

Ler mais... »

Efeitos benéficos da alfafa peletizada em equinos

Um dos maiores desafios dos equinocultores e amantes de cavalos é manter a saúde de seus animais, para tanto uma dieta equilibrada é imprescindível. Os equinos, além de serem exigentes em relação à palatabilidade (sabor agradável) do alimento, também são considerados animais de digestão sensível, devido às características anatômicas que alteram a digestibilidade e permanência dos alimentos. São diversos os fatores que podem afetar o período de permanência dos nutrientes nos segmentos do trato digestório dos equinos. O que pode ocasionar mudanças na digestibilidade, como: …

Ler mais... »

Powered by moviekillers.com