O Bem-estar de Animais Estabulados

Por: Júlia Silva Santos (Aluna do Curso Técnico em Zootecnia – CETEP/Itororó-Ba)

Fonte: https://qcanimais.com.br/construir-baias-de-cavalos/

Bem estar é uma boa qualidade de vida oferecida ao animal que envolve saúde, tranquilidade e conforto. Faz parte do bem estar que o animal fique livre de fome, de sede, de desnutrição, de desconforto, de dor, de ferimentos, de doenças, de medo, de estresse e livre para expressar seus comportamentos. Animais criados em baia (equinos), quando não recebem o total conforto, apresentam maus comportamentos. Logo abaixo você verá quais e como são acontecidos.
BAIA
A baia deve ser grande de maneira que o animal possa se virar, deitar e rolar.
– Para cavalos de equitação uma área mínima (em m²) = altura da cernelha (m) × 2²m. Numa altura da cernelha de 1,60 é necessário uma área de 10,2 m².
– As medidas usuais para baias são de 3,2 × 3 × 5 m (11,2 m²).
– Para animais de reprodução 4×4 m (16 m²).
• VENTILAÇÃO: Telhado alto e sem forro para que o ar circule de maneira uniforme evitando que o local fique quente.
• PORTAS: Deve ter dois segmentos de abertura, superior e inferior, que aumenta a ventilação e o animal coloque a cabeça para fora.
• PISOS: Levando em consideração dois tipos permeáveis (que transpassa) e impermeável (não transpassa) ,deve-se observar suas características (natural, brita, carvão vegetal, concreto e borracha) visualizando sempre suas qualidades, reter odores e umidade; seja fácil de limpar; antiderrapante; resistente a impactos e que ajude a diminuir a tensão nos pés e tendões do animal. Deve-se dar preferência a pisos mais porosos que absorvam a urina e não a armazene, os estrados de borracha podem ser positivos, são onerosos, porém de difícil manejo.
• ILUMINAÇÃO: Telhas translúcidas, iluminação natural que reduz gastos com iluminação artificial.
• COCHOS: Alto índice de higiene e de durabilidade, alguns optam pelo de alumínio.
• CONFORTO: Ligado também ao piso, a dimensão da baia e uma atensão especial para contribuir com a saúde do animal.
Ao optar por cama de borracha, estará garantindo o bem estar do animal e prevenindo doenças que podem ser causados por cama de maravalha, serragem e pisos normalmente feitos de cimento, essas doenças são das fezes e urinas que atraem moscas e transmitem diversas doenças. Sem contar que a urina do equino tem um cheiro forte, porque é rica em amônia. O odor junto com a poeira da cama pode causar nos equinos problemas respiratórios como: Obstrução Aérea Recorrente (OAR) e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). É por isso que essas camas são substituídas pelas de borracha, que garante uma drenagem automática da urina.
• LOCAL: Recomenda-se construir abaixo ou perto de árvores, para que haja uma sombra natural.
– HIGIENE:
• Manter a cocheira limpa é essencial para a saúde que melhora a qualidade de vida e o bom desempenho dos cavalos, e é neste local que eles passam a maior parte do tempo. Apenas um dia sem a limpeza da cachoeira já é suficiente para o local se tornar prejudicial aos animais devido ao acúmulo de fezes e urina, que cooperam para a proliferação de diversas doenças.
• Limpar a baia de duas a três vezes por dia, limpar diariamente o piso para evitar acúmulo de fezes e urina. Todo estrume retirado durante a limpeza da baia deve ser transportado para uma esterqueira, longe da baia ou pavilhão do haras para não atrair moscas e evitar transmissão de doenças.
• Manter os cochos e bebedouros sempre limpos, retirar os restos de alimentos, limpar com escova e água corrente, evitando que os resíduos da comida apodreçam e sejam ingeridos pelo animal.
• Os bebedouros de cimento acumulam mais sujeira do que os de fibra ou plástico, sendo também mais fáceis de limpar.
• Retirar o animal enquanto se limpa ou remove a cama, se possível uma vez na semana agrupar a cama junto à parede para arejar o piso.

– ALIMENTAÇÃO:
Os animais levam uma hora e meia para se alimentarem, que ajuda os animais a ocupar boa parte do tempo.
Na alimentação se compararmos os animais com alimentação concentrada e o feno, os que alimentam com o feno gastam mais tempo se alimentando, o que leva menos tempo para adquirir distúrbios no comportamento (esses distúrbios são: morder partes da baia, comer fezes, aerofagia), do que os animais que comem concentrados.
A dieta interfere diretamente no teor de amônia. Uma dieta com alto teor proteico, muitas vezes por ser uma dieta desbalanceada produz mais ureia na urina e o cavalo urina de 5 a 7 litros por micção. É fornecer uma dieta equilibrada, evitando o excesso de proteína. Existem medicamentos que se propõe a diminuir o teor de ureia em dietas.
-LIBERDADE E COMPORTAMENTO
Se possível deixar o animal a maior parte do dia em liberdade (tempo integral- manhã/tarde).
A falta de contato com outros animais ou pessoas também causam distúrbios. Os animais estabulados podem apresentar comportamentos agressivos. Outros apresentam maus comportamentos somente durante a alimentação, cio, manuseio da cabeça ou membro…
Outro vício é a coprofagia (comer fezes), transmite doenças e cólicas; a aerofagia (engolir ar) também causa cólicas gasosas e é difícil de ser eliminada.

Sobre Ulisses Barbosa

Ulisses Barbosa
Graduando em Zootecnia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-UESB; Baiano; Disposto a partilhar o que pouco sei. "Fazes crescer capim para o gado e verduras e cereais para as pessoas, que assim tiram da terra o seu alimento... Que a Glória de Deus, o Senhor, dure para sempre! Que Ele se alegre com aquilo que fez!" -Salmos 104:14,31'

Veja Tambem!

Pecuária Orgânica voltada para o manejo da raça Murrah

Por: Paola Silva Santos (Aluna do Curso Técnico em Zootecnia – CETEP/Itororó-Ba) O manejo orgânico …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by moviekillers.com