Produção de Leite Orgânico

Leite orgânico é o produto da pecuária leiteira orgânica, que se baseia nas premissas de ser uma exploração economicamente viável, ecologicamente correta e socialmente justa.  Nesse tipo de exploração, além de os animais serem criados de forma saudável, sem a utilização de antibióticos, hormônios, vermífugos, promotores de crescimento, estimulantes de apetite, uréia e demais aditivos não autorizados, é necessário que o pecuarista esteja compromissado com a preservação ambiental e proporcione adequadas condições de trabalho aos seus empregados, sempre visando a excelência do produto a ser obtido.  O leite orgânico difere daquele obtido na pecuária convencional por não conter resíduos químicos de qualquer espécie, possuindo mesmo sabor e valor nutritivo, podendo ser consumido puro, sob a forma de lactoderivados ou incorporado a outros produtos alimentícios.

O sistema orgânico de produção não é caracterizado somente pela troca de insumos químicos por insumos orgânicos, biológicos e ecológicos, visto o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) estabelecer uma série de procedimentos para que o leite de uma propriedade seja considerado orgânico.  Tais procedimentos regulamentam a alimentação do rebanho, instalações e manejo, escolha de animais, sanidade e até o processamento e empacotamento do leite.

A Embrapa Gado de Leite, embora não produza leite orgânico, vem desenvolvendo ações que enfocam dois temas prioritários nas pesquisas concernentes à sua produção: a alimentação e o controle sanitário do rebanho.

Em um sistema de produção de leite orgânico, como em qualquer sistema pecuário, recomenda-se que a alimentação dos animais seja equilibrada e supra todas as suas necessidades.  Entretanto, de acordo com as exigências das Certificadoras, 85% da matéria seca consumida pelo rebanho deve ser de origem orgânica e para tanto se recomenda que seja feito, na propriedade, o consórcio de gramíneas e leguminosas na pastagem, incentivando a diversificação de espécies vegetais.  Sugere-se a implantação de sistemas agroflorestais (silvipastoris ou agrossilvipastoris), nos quais leguminosas arbóreas e/ou arbustivas, fixadoras de nitrogênio, sejam associadas a cultivos agrícolas ou pastagens.

O controle sanitário do rebanho leiteiro orgânico deve se basear no uso de produtos homeopáticos, fitoterápicos e na acupuntura, sendo obrigatórias as vacinas previstas na legislação e recomendadas a administração daquelas que visam ao controle das doenças mais comuns em cada região.

A despeito das iniciativas isoladas, a produção de leite orgânico no Brasil ainda é incipiente, fato que aliado ao pouco interesse das empresas receptoras em processá-lo explicam o baixo volume oferecido à população,ainda é muito reduzido o número de propriedades que exploram a pecuária leiteira orgânica certificada.

*Carlos Renato Tavares de Castro, *Maria de Fátima Ávila Pires e *Luiz J. Aroeira

Sobre Wendel Bispo Santos e Santos

Wendel Bispo Santos e Santos
Técnico em Agropecuária pelo Instituto Federal Baiano - Campus Itapetinga, atualmente graduando em Zootecnia pela UESB, Bolsista de Iniciação Cientifica, 22 Anos

Veja Tambem!

Principais fraudes no leite

“Com certeza você já viu ou ouviu alguma notícia abordando leites fraudados. Esse assunto é …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by moviekillers.com