Importância da amonização de palhadas e de forragens de baixa qualidade com uréia e como realizar o processo

Amonização consiste no processo de se adicionar amônia (URÉIA) as palhadas, restos de cultivos ou forragens muito fibrosas,tendo como principal objetivo ajudar nos períodos críticos de escassez de forragens.Esse alternativa  permite transformar, um material de baixa qualidade em um material capaz de manter o peso ou até mesmo proporcionar ganho de peso do animal durante a estiagem com um baixo custo unitário,além de dar uma boa digestibilidade. A amônia irá atuar na parte mais fibrosa do material tratado devido sua ação fungiostática, sendo possível a total preservação do material.

Materiais Utilizados na Amonização :

  • As palhadas (de milho, arroz, feijão, sorgo)                                             
                   Imagem: Minicurso Tecnologias                           Alimentares – COINTER 2017
  •  Capins secos e fenos de gramíneas e leguminosas com elevado teor de fibra;
  •  Alimentos fibrosos e resíduos da agroindústria como a casca de arroz, bagaço de cana, resíduos de caju, sabugo de milho, maniva de mandioca).

COMO AMONIZAR?

O Processo de amonizar consiste nas seguintes etapas, como mostra a figura abaixo:

Imagem: Minicurso Tecnologias Alimentares – COINTER 2017

COMO PREPARAR

  • A uréia deve ser dissolvida em quantidade de água suficiente para elevar o teor de umidade a cerca de 30%;
  • Deve-se distribuir a solução de forma uniforme, com auxílio de um regador, sobre camadas do material;
  • É de muita importância que após a distribuição da solução , a forragem deve ser vedada com uma lona de polietileno, onde permanecerá durante todo o período de amonização.
  •  Em temperatura superior a 20ºC a amonização estará concluída em 20 a 28 dias, enquanto, sob temperatura superior a 30ºC, recomenda-se 15 dias.
  • Após abertura, o material deve ser exposto ao sol por dois a três dias, visando aeração (troca de gases entre os tecidos vegetais e a atmosfera), o que visa eliminação da amônia não fixada e redução do forte odor de amônia, propiciando melhor palatabilidade do feno.

 

CONCLUSÕES

É de total importância esse tipo de alternativas, é viável, possui um baixo custo, permite  que o próprio agricultor busque de suas própria terra o material desejado,permitindo assim uma opção de economizar durante os períodos de seca.

 

REFERÊNCIAS:

EMBRAPA. Alternativa alimentares e sistema de produção animal para o semiárido.Disponível em:https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/861978/alternativas-alimentares-e-sistemas-de-producao-animal-para-o-semiarido-brasileiro. Acessado no dia 19/12/2017.

JUNIOR,Valdir; COSTA,Gabriel; NETA,Maria. Tecnologia Alimentares para Ruminantes no  Semiárido Brasileiro: Natal RN, 2017.

Sobre Aline Alves da Silva

Graduando em Zootecnia pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Baiano-Campus Santa Inês. Pretendo trabalhar com o pequeno agricultor. Amante em assuntos relacionado a Caprino/Ovino e Moda. Apaixonada pelo meu Nordeste. Idade, 24 anos.

Veja Tambem!

Método Famacha para Vermifugação de Ovinos e Caprinos

O controle de verminose em caprinos e ovinos é realizado principalmente com o uso de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by moviekillers.com