Pontos não desejáveis na raça Mangalarga Marchador

Algumas características não são desejáveis para o padrão da raça Mangalarga Marchador, independente do sexo e idade do animal estas e outras características devem ser observadas conforme o desenvolvimento do animal, pois assim como os pontos abordados a seguir retiram os animais do padrão racial. Algumas características com pouca expressão genética também podem dificultar o registro do animal, uma vez que estes animais devem alcançar determinada pontuação para as características morfológicas e de andamento, pontuação determinada pelo técnico responsável e autorizado pela Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador. Assunto que será levantado em uma próxima postagem.

Primeiro vamos conhecer o padrão da raça (itens de I a IX). E em seguida os itens descritos no (item X) como pontos de desclassificação do animal da raça.

PADRÃO DA RAÇA
APROVADO PELO CDT – CONSELHO DELIBERATIVO TÉCNICO
DA ABCCMM EM 24/06/98
APROVADO PELO MAPA EM 05/07/2000

I – APARÊNCIA GERAL:
1 – Porte médio, ágil, estrutura forte e bem proporcionada, expressão vigorosa e sadia, visualmente leve na aparência, pele fina e lisa, pelos finos, lisos e sedosos, temperamento ativo e dócil.
2 – Altura: Para machos a ideal é de 1,52m, admitindo-se para o registro definitivo a mínima de 1,47m e a máxima de 1,57m. Para fêmeas a ideal é de 1,46m, admitindo-se para o registro definitivo a mínima de 1,40m e a máxima de 1,54m.

II – CABEÇA:
1 – Forma: triangular, bem delineada, média e harmoniosa, fronte larga e plana;
2 – Perfil: retilíneo na fronte e de retilíneo a sub-côncavo no chanfro;
3 – Olhos: afastados e expressivos, grandes, salientes, escuros e vivos, pálpebras finas e flexíveis;
4 – Orelhas: médias, móveis, paralelas, bem implantadas, dirigidas para cima, de preferência com as pontas ligeiramente voltadas para dentro;
5 – Garganta: larga e bem definida;
6 – Boca: de abertura média, lábios finos, móveis e firmes;
7 – Narinas: grandes, bem abertas e flexíveis;
8 – Ganachas: afastadas e descarnadas.

III- EXPRESSÃO E CARACTERIZAÇÃO:
O que exprime e caracteriza a raça em sua cabeça, aparência geral e conformação.

IV – PESCOÇO: De forma piramidal, leve em sua aparência geral, proporcional, oblíquo, de musculatura forte, apresentando equilíbrio e flexibilidade, com inserções harmoniosas, sendo a do tronco no terço superior do peito, admitindo-se, nos machos, ligeira convexidade na borda dorsal – como expressão de caráter sexual secundário – crinas ralas, finas e sedosas.

V – TRONCO:
1 – Cernelha: bem definida, longa, proporcionando boa direção à borda dorsal do pescoço;
2 – Peito: profundo, largo, musculoso e não saliente;
3 – Costelas: longas, arqueadas, possibilitando boa amplitude torácica;
4 – Dorso: de comprimento médio, reto, musculado, proporcional, harmoniosamente ligado à cernelha e ao lombo;
5 – Lombo: curto, reto, proporcional, harmoniosamente ligado ao dorso e à garupa, coberto por forte massa muscular;
6 – Ancas: simétricas, proporcionais e bem musculadas;
7 – Garupa: longa, proporcional, musculosa, levemente inclinada, com a tuberosidade sacral pouco saliente e de altura não superior à da cernelha;
8 – Cauda: de inserção média, bem implantada, sabugo curto, firme, dirigido para baixo, de preferência com a ponta ligeiramente voltada para cima quando o animal se movimenta. Cerdas finas, ralas e sedosas.

VI – MEMBROS ANTERIORES:
1 – Espáduas: longas, largas, oblíquas, musculadas, bem implantadas, apresentando amplitude de movimentos;
2 – Braços: longos, musculosos, bem articulados e oblíquos;
3 – Antebraços: longos, musculosos, bem articulados, retos e verticais;
4 – Joelhos: largos, bem articulados e na mesma vertical do antebraço;
5 – Canelas: retas, curtas, descarnadas, verticais, com tendões fortes e bem delineados;
6 – Boletos: definidos e bem articulados;
7 – Quartelas: de comprimento médio, fortes, oblíquas e bem articuladas;
8 – Cascos: médios, sólidos, escuros e arredondados.
9 – Aprumos: corretos.

VII – MEMBROS POSTERIORES:
1 – Coxas: musculosas e bem inseridas;
2 – Pernas: fortes, longas, bem articuladas e aprumadas;
3 – Jarretes: descarnados, firmes, bem articulados e aprumados;
4 – Canelas: retas, curtas, descarnadas, verticais, com tendões fortes e bem delineados;
5 – Boletos: definidos e bem articulados;
6 – Quartelas: de comprimento médio, fortes, oblíquas e bem articuladas;
7 – Cascos: médios, escuros e arredondados;
8 – Aprumos: corretos.

VIII – AÇÃO:
1 – Passo: andamento marchado, simétrico, de baixa velocidade, a quatro tempos, com apoio alternado dos bípedes laterais e diagonais, sempre intercalados por tempo de tríplice apoio.
Características ideais: regular, elástico, com ocorrência de sobrepegada; equilibrado, com avanço sempre em diagonal e tempos de apoio dos bípedes diagonais pouco maiores que laterais; suave movimento de báscula com o pescoço; boa flexibilidade de articulações.
2 – Galope: andamento saltado, de velocidade média, assimétrico, a três tempos, cuja sequência de apoios se inicia com um posterior, seguido do bípede diagonal colateral (apoio simultâneo) e se completa com o anterior oposto.
Características ideais: regular, justo, com boa impulsão, equilibrado, com nítido tempo de suspensão, discreto movimento de báscula com o pescoço, boa flexibilidade de articulações.

IX – ANDAMENTO: Marcha batida ou picada – é o andamento natural, simétrico, a quatro tempos, com apoios alternados dos bípedes laterais e diagonais, intercalados por momentos de tríplice apoio.
Características ideais: regular, elástico, com ocorrência de sobrepegada ou ultrapegada, equilibrado, com avanço sempre em diagonal e tempos de apoio dos bípedes diagonais maiores que laterais, movimento discreto de anteriores, descrevendo semicírculo visto de perfil, boa flexibilidade de articulações.

Aprovado pelo CDT – Conselho Deliberativo Técnico da ABCCMM em
11/02/2003
Aprovado pelo MAPA em 08/12/2003

X – PONTOS DE DESCLASSIFICAÇÃO:

1 – EXPRESSÃO E CARACTERIZAÇÃO:
Quando se distingue da raça.

2 – DESPIGMENTAÇÃO:
2.1 – Pele (Albinismo)
2.2 – Íris (Albinóide)

3 – TEMPERAMENTO:
Vícios considerados graves e transmissíveis.

4 – ORELHAS:
Mal dirigidas (Acabanadas)

5 – PERFIL DA FRONTE:
Convexilíneo

6 – PERFIL DO CHANFRO:
Convexilíneo ou concavilíneo

7 – LÁBIOS:
Com relaxamento das comissuras (belfo)

8 – ASSIMETRIA DA ARCADA DENTÁRIA:
(Prognatismo)

9 – PESCOÇO:
Cangado, invertido (de cervo) e rodado

10 – LINHA DORSO-LOMBAR:
Cifose (de carpa), lordose (selado) e escoliose (desvio lateral da coluna)

11 – GARUPA:
Demasiadamente inclinada (derreada), de altura superior à da cernelha, tolerando-se, neste caso, nas fêmeas, diferença de até 2 centímetros.

12 – MEMBROS:
Taras ósseas congênitas e defeitos graves de aprumos.

13 – APARELHO GENITAL:
13.1- Anorquidia (ausência congênita dos testículos)
13.2- Monorquidia (roncolho)
13.3- Criptorquidia (1 ou 2 testículos na cavidade abdominal)
13.4- Assimetria testicular acentuada
13.5- Anomalias congênitas do sistema genital feminino

14 – ANDAMENTO:
14.1- Andadura
14.2- Trote
14.3- Marcha trotada

Fonte:
Disponível em: <http://www.abccmm.org.br/regulamentos/padrao-da-raca> Acesso em: 02 de abril. 2017.

Sobre Pedro Paulo Policiano Públio

Pedro Paulo Policiano Públio
Graduando em Zootecnia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, integrante do grupo de estudo em Suplementação de Bovinos a Pasto. Estudante com ênfase em Nutrição e Alimentação Animal. Amante de equinos e informática. Idade, 24 anos.

Veja Tambem!

O que é: EE, FB, MM, MS, PB ?!

Extrato Etéreo O Extrato Etéreo (EE) ou gordura bruta compreende na fração do alimento que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by moviekillers.com