Importância do Cromo na dieta animal

O aumento do interesse sobre o emprego do Cr como fonte suplementar na dieta de animais destinados à produção justifica-se por um possível efeito estimulatório sobre a taxa de crescimento, resposta imune, e alteração metabólica . MALLARD & BORGS (1997) ressaltaram a importância do Cr como parte de um composto organometálico, com função de potencializar a ação da insulina e facilitar a captação de glicose pelas células. O principal papel do cromo é potencializar a interação entre a insulina e receptores celulares, através da formação do fator de tolerância à glicose.

cromo

Na etapa 1 a insulina se liga ao receptor e produz a ativação.

Na etapa 2 ocorre a ativação do receptor de insulina que estimula a entrada de cromo para dentro da célula.

Na etapa 3 o cromo se liga ao peptídeo Apo-LC conhecido como Substância de Baixo Peso Molecular Ligadora de Cromo.

Na etapa 4 a Apo-LC se liga ao receptor de insulina e melhora a atividade do mesmo.

Esta energia adicional produzida pela maior quantidade de glicose que entra na célula será utilizada para manutenção celular, síntese de novas proteínas, crescimento muscular, e melhoria na reprodução.

No metabolismo proteico a insulina apresenta um efeito direto, promovendo a captação de aminoácidos pelas células e convertendo-os em proteína. A insulina compartilha com o hormônio do crescimento a capacidade de aumentar a captação de aminoácidos para dentro das células e age diretamente sobre os ribossomos, aumentando a tradução do RNA mensageiro e formando novas proteínas. Na ausência de insulina, os ribossomos simplesmente param de trabalhar, o catabolismo proteico aumenta, a síntese proteica cessa e grandes quantidades de aminoácidos são liberadas para o plasma sanguíneo (GYTON & HALL, 1996).

Segundo ANDERSON et al. (1987), o Cr quando presente na dieta aumenta a atividade da insulina. Em condições de baixas concentrações de insulina, a suplementação com Cr aumenta a atividade deste hormônio.

SUBIYATANO et al. (1996) verificaram uma maior produtividade ao adicionarem Cr na dieta de vacas leiteiras. Obtiveram maior ganho de peso final (428,5 kg) em vacas da raça Nelore suplementadas com Cr quando comparado ao grupo controle (380,5 kg), não suplementado com Cr. A adição do Cr orgânico já é usual em dietas de gado de corte e de leite. Em rebanhos destinados à produção de carne, muitos trabalhos demonstraram que a suplementação com Cr beneficia os animais através de melhoria na taxa de crescimento (ganho de peso).

Nos períodos do ano em que os animais são expostos à maior estresse e para aquelas categorias que também enfrentam alto nível de estresse, como animais recém desmamados, a suplementação com cromo pode melhorar as condições orgânicas do animal e com isto melhorar a produção. Produtos com concentrações de cromo entre 10 e 20 mg/kg normalmente são suficientes para atingir bons níveis de suplementação do elemento.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANDERSON, R.A. et al. Effects of supplemental chromium on patients with symptoms of reactive hypoglycemia. Metabolism, v. 36, n. 4, p. 351-355, 1987.

BORGS, P.; MALLARD, B.A. Immune-endocrine interactions in agricultural species: chromium and its effect on health and performance. Domestical Animal Endocrinology, v. 15, n. 5, p. 431-438, 1998.

SUBIYATNO, A.; MOWAT, D.N.; YAN, W.Z. Metabolite and hormonal responses to glucose or propionate infusions in preparturient dairy cows supplemented with chromium. Journal of Dairy Science, v. 79, n. 8, p. 1436-1445, 1996.

 

 

 

Sobre Ingridy Dutra

Ingridy Dutra
Graduando em Zootecnia - UESB Itapetinga, 19 anos. Bolsista de iniciação FAPESB. Católica Apostólica Romana, devota de Nossa Senhora Aparecida.

Veja Tambem!

Aspectos genéticos da presença/ausência de cornos em bovinos

Introdução Na vida selvagem, a presença de cornos é de fundamental importância. Animais aspados (com …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by moviekillers.com