Mandioca na alimentação animal

As raízes da mandioca destacam-se como fonte de energia, que é o componente quantitativamente mais importante das rações alimentícias para diferentes espécies de animais.Pode ser utilizada na alimentação de animais monogástricos e poligástricos, nas formas fresca, ensilada e seca, raspa triturada e farelo . Apresentam quantidades mínimas de proteína, vitaminas, minerais e fibra e são bem aceitas pelos animais. As raízes possuem alta concentração de amido e podem ser usadas como substitutas do milho, na alimentação de vacas leiteiras, desde que devidamente suplementada com uma fonte proteica, já a parte aérea da mandioca tem alto valor nutritivo (proteína, açúcares, vitaminas A e C, minerais Ca e P) excelente aceitabilidade pelos animais por ser palatável. O nosso Brasil oferece dois tipos de mandioca, a mansa e a brava e a forma de fornecimento também é diferente.A mandioca contém glicosídeos cianogênicos que, em sua hidrólise, produzem ácido cianídrico, cuja ingestão poderá causar sérios danos à saúde. Existem mandiocas denominadas “bravas” com alto teor de ácido cianídrico e mandiocas “mansas”, com menor nível de toxidez.

Imagem: embrapa.br
Imagem: embrapa.br

Na planta de mandioca o ácido cianídrico (HCN) encontra-se em diferentes concentrações, apresentando maiores quantidades nas folhas do que na raiz. O método mais comum de liberação do HCN é deixar que as enzimas endógenas promovam a liberação do HCN após a maceração da raiz. O aquecimento (sol ou forno) e o tempo de exposição ao ar também favorecem a liberação, embora tenha sido observado que partes aéreas de mandioca perdem HCN mais rapidamente quando secas a sombra. A extrusão proporciona total desintoxicação, com hidrólise parcial do amido.
A intoxicação de animais com HCN somente poderá ocorrer com o fornecimento de raízes frescas, trituradas e fornecidas aos animais imediatamente após a colheita. O armazenamento por 24-48 horas já eliminaria esse problema. Mandioca mansa: picar e colocar diretamente no cocho. Não oferece risco. Mandioca brava: picar, fazer a murcha por 24 horas e fornecer aos animais, misturar com 50 % de outro volumoso (ruminantes) e para não ruminantes, utilizar 20 % na mistura.

As experiências têm demonstrado que as ramas de mandioca podem ser incluídas na formulação de rações para animais domésticos, especialmente ruminantes (bovinos, caprinos e ovinos), em substituição parcial ou total dos cereais (milho, trigo e cevada), graças ao seu valor nutritivo.

Sobre Flávia França Cerqueira

Veja Tambem!

Importância do Cromo na dieta animal

O aumento do interesse sobre o emprego do Cr como fonte suplementar na dieta de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by moviekillers.com