Imunocastração, sem perca de tempo e “dor de cabeça”

IMUNOCASTRAÇÃO EM SUÍNOS

Sabe-se que a castração cirúrgica (gonodectomia) em suínos é um trabalho  constante entre produtores, muitas das vezes a castração é feita de uma forma que o produtor pode até perder o animal,  a gonodectomia é feita no saco escrotal do suíno retirando os testículos e glândulas, os suínos com maturação e com um período reprodutivo ativo não é aconselhável para abate, pois a carne do mesmo traz um odor forte por conta de muitos hormônios ativos no corpo. A partir do quinto mês de idade o suíno começa a desencadear o período reprodutivo, com os seus 10 meses de idade ele alcança o período reprodutivo, sendo assim cientistas estudaram e chegaram a um descoberta grande que é a vacina “Imunocastração em suínos”.

Imunocastração: O princípio da imunocastração baseia-se na aplicação de vacinas contendo uma forma modificada de GnRH(Gene RH) conjugada à uma proteína, que induz a formação de anticorpos direcionados contra o GnRH (ZAMARATSKAIA et al, 2008). A utilização do próprio sistema imune do suíno para suprimir o GnRH interrompe o eixo hipotalâmico-hipofisário-gonadal, pelo estabelecimento de uma barreira imunológica que interrompe a passagem de GnRH do local de liberação no hipotálamo ao local de ação, na glândula pituitária. A supressão do GnRH o impede de estimular a secreção deLH e FSH pela glândula pituitária, consequentemente, reduzindo o desenvolvimento dos testículos e a síntese de hormônios esteroides (THUN et al., 2006), incluindo a androsterona (ZAMARATSKAIA et al., 2008), principal hormônio responsável pelo odor na carcaça.img_ju468-11

Vantagens da imunocastração:  eliminação da dor causada pela castração cirúrgica; pouca irritação no local de aplicação da injeção de animais vacinados; a redução nas lesões de luta que ocorrem após transporte e reagrupamento pela redução de comportamentos agressivos e sexuais; o ganho de peso diferencial de machos inteiros.
A aplicação da vacina deve ser feita com 4 a 6 semanas de intervalo, sendo a primeira com 18 semanas de idade  e a segunda cerca de 4 semanas pré-abate, que são eficientes em reduzir as concentrações de androsterona e escatol no tecido adiposo a níveis similares aos observados em machos castrados cirurgicamente antes das 2 semanas de idade (EINARSSON, 2006).

Conclusão: A castração imunológica com anti-GnRH é um procedimento que poderá substituir a castração cirúrgica de suínos machos, sendo eficaz em reduzir as concentrações dos principais hormônios responsáveis pelo desencadeamento do odor na carcaça, permitindo,além disso, que os animais apresentem por mais tempo as características favoráveis de desempenho ponderal e de carcaça de machos inteiros, gerando impacto produtivo positivo na produção de suínos.

Rita da Trindade Ribeiro Nobre Soares – DSc., Professora Associada da Universidade estadual Norte Fluminense
Juliano Pelição Molino – Doutorando em Ciência Animal, UENF julianomolino@yahoo.com.br
Artigo Completo

fonte: nutritime.com.br

Sobre Maicon Rodrigues Porto

Maicon Rodrigues Porto
Graduando em Zootecnia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, natural de Vitoria da Conquista-Ba. "Morei no meio rural desde os meus primeiros dias de vida até os 10 anos de idade."

Um comentário

  1. Bruna Santana

    Muito bom, uma das poucas vezes em que observamos o uso da tecnologia para melhoramento do bem estar animal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by moviekillers.com