Embarques para a China devem recomeçar em junho

Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) estima que a retomada das exportações de carne bovina para a China aconteça em junho. “A expectativa é que possamos repetir e até superar o patamar de 17 mil toneladas embarcadas ao país em 2012”, estima o diretor executivo da associação, Fernando Sampaio. A receita obtida em 2012 foi de US$ 74,8 milhões.
As oito unidades de abate de bovinos da Marfrig, Minerva e JBS, e uma de aves que já exportavam para o país antes do embargo ao produto brasileiro, em 2012, em razão de um caso atípico de mal da vaca louca (encefalopatia espongiforme bovina), voltaram a ser habilitadas nesta terça-feira, 19.
Na ocasião, Brasil e China assinaram uma série de acordos de cooperação que somam R$ 53 bilhões. Uma das unidades de abate fica em Mato Grosso, cinco em São Paulo, uma no Rio Grande do Sul e um em Goiás. A unidade de aves é do Paraná.
A expectativa é que outras nove plantas de abate de bovinos sejam consideradas aptas a negociar com os chineses em junho, quando a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, fará visita oficial ao país. Também deverão ser habilitadas oito unidades de aves e suínos. Com isso, o Brasil deverá ter 26 frigoríficos habilitados, o que pode representar cerca de US$ 520 milhões anuais em vendas, estima o Ministério da Agricultura (Mapa).
A Abiec considera a China peça fundamental para a recuperação das exportações de carne bovina brasileiras, que caíram 15% nos primeiros quatro meses do ano. Para se ter uma ideia do potencial do país, em 2014 a China importou 300 mil toneladas de carne bovina. “O Brasil vai brigar por uma parte desse total e temos competitividade para ter uma boa participação”
Sampaio descarta a hipótese de que os embarques para Hong Kong recuem com a abertura do mercado chinês. Hong Kong é o principal destino da carne bovina brasileira e, até então, a porta de entrada para os produtos na China. No acumulado de janeiro a abril deste ano, o Brasil exportou 117 mil toneladas a US$ 468,6 milhões.
Antônio De Salvo, presidente da Comissão de Bovinocultura de Corte da CNA, comemorou a retomada dos embarques. “O mercado chinês é almejado por todos e é resultado de um conjunto de ações que o Brasil está fazendo e que está abrindo novos mercados. Além disso, somos um dos poucos países capazes de atender a esta
Imagem: balancasacores.com.br

Sobre João Wilian Dias Silva

João Wilian Dias Silva
Técnico em Agropecuária pela Escola Família Agrícola de Caculé, Atualmente Graduando em Zootecnia -UESB, bolsista de iniciaçao científica, 22 anos

Veja Tambem!

Um novo olhar sobre a carne suína

Ocupando o terceiro lugar na preferencia da mesa do brasileiro, a carne suina vem conquistando cada …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by moviekillers.com